Fique por dentro
   

Notícias

Contribuições das Plenárias Regionais atendem a realidade no chão de fábrica

05/06/2015

Próxima etapa é a Plenária Estatutária da FEM, que definirá os principais eixos de luta

Mesa de abertuda da 3ªPlenária da Federação em Taubaté foto: Walter Faria 
 

Publicado em: 01/06/2015

Os debates sobre a valorização das cláusulas sociais, que serão o destaque na Campanha Salarial da FEM-CUT/SP, foram concluídos com sucesso na sua primeira etapa. Visando apresentar sugestões de pautas e, principalmente, ouvir as contribuições dos trabalhadores no chão de fábrica, a Federação realizou três Plenárias Regionais que aconteceram em Monte Alto (16/5), Itu (23/5) e a última no sábado 30 de maio, em Taubaté. A atividade contou com a participação de centenas de trabalhadores.

“Recebemos diversas  sugestões de melhorias e ampliação de direitos sociais de todas as regiões. As mulheres e os jovens estão de parabéns porque apresentaram ricas contribuições, que com certeza, farão parte das nossas pautas de reivindicações”, frisa o presidente da FEM-CUT/SP, Luiz Carlos da Silva Dias, o Luizão.

O presidente  também destacou a importância da união entre os sindicatos. No término das Plenárias foram realizadas confraternizações em Monte Alto, que aconteceu no Clube de Campo dos Metalúrgicos de Matão; em Itu no Pesqueiro dos Metalúrgicos de Salto e em Taubaté no Clube de Campo dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba.
 
A próxima etapa será a realização da Plenária Estatutária da FEM-CUT/SP, fórum máximo deliberativo da Federação, que acontecerá, no dia 13 de junho, na sede da entidade, em São Bernardo. Participarão todos os sindicatos filiados à Federação no Estado.

Nesta Plenária, serão apresentadas as reivindicações vindas das Plenárias Regionais que farão parte das pautas de reivindicações da Campanha da Salarial, que serão entregues para as seis bancadas patronais que negociam com a FEM.

As montadoras, desde 2009, não fazem parte das negociações da Campanha Salarial da FEM, porque já têm acordos assinados diretamente com os sindicatos metalúrgicos filiados. Esses são os casos de São Bernardo do Campo (Volkswagem, Scania, Ford, Mercedes e Toyota), Sorocaba (Toyota), Taubaté (VW e Ford) e São Carlos (WV).

Jovens
O assessor jurídico da Federação, Raimundo Oliveira, que apresentou nas Plenárias Regionais as sugestões da FEM para as cláusulas pré-existentes (em vigor nas Convenções Coletivas de Trabalho) e a inclusão de novos direitos, disse que o método utilizado pela Federação possibilitou que os trabalhadores e trabalhadoras em cada região apresentassem propostas que atendem as necessidades dentro das fábricas.

“O Coletivo da Juventude, liderado pela companheira Gláucia, Secretária da pasta, propôs a criação de um quadro de carreira especial para o jovem empregado que tenha entre 18 e 24 anos de idade”, explica.

Oliveira disse que essa reivindicação nova reflete a necessidade do jovem em ter incentivo à sua carreira profissional e sua ascensão aos cargos na empresa onde trabalha.

Mulheres

Oliveira citou outra importante contribuição vinda do Coletivo de Mulheres Metalúrgicas da FEM-CUT/SP, que reivindica o direito de acompanhar seus filhos menores de idade às consultas médicas/internações hospitalares de terem a sua ausência com uma declaração/atestado valendo-se como atestado médico para ter essas horas abonadas pela empresa.

Perfil industrial
Uma novidade nas Plenárias Regionais foram as apresentações dos estudos da Subseção do Dieese na FEM-CUT/SP e CNM/CUT que mostraram os perfis industriais das regiões dos sindicatos metalúrgicos filiados à Federação no Estado.

Os estudos foram elaborados pela economista da Subseção na Federação, Carolina Gonçalves, em parceria com técnico do Dieese no Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, Igor Pinheiro. (Confira no Portal FEM os estudos).

Perfil da Campanha Salarial da FEM-CUT/SP
Neste ano, a pauta de reivindicações da FEM-CUT/SP, interlocutora dos trabalhadores nas negociações da Campanha Salarial com os setores patronais, será cheia, ou seja, além das cláusulas econômicas (aumento salarial, reajustes nos pisos e outros itens de natureza financeira) também serão negociados a melhoria, aperfeiçoamento, ampliação e inclusão de direitos sociais, que beneficiarão os jovens, negros (as), mulheres e as pessoas com deficiência.
A data-base é 1º de setembro e estarão em Campanha  aproximadamente 210 mil metalúrgicos e metalúrgicas na base da FEM no Estado. A Federação negocia com seis bancadas patronais: Grupo 2 (máquinas e eletrônicos); Grupo 3 (autopeças, forjaria, parafusos); Grupo 8 (trefilação, laminação de metais ferrosos; refrigeração, equipamentos ferroviários, rodoviários entre outros); Grupo 10 (lâmpadas, equipamentos odontológicos, iluminação, material bélico entre outros); Estamparia e Fundição.

Divulgação

A FEM divulgou no seu Portal na internet (www.fem.org.br) e socializou com os sindicatos filiados a arte das Plenárias Regionais cujo slogan é: #NenhumDireitoaMenos (foto-arte)
Toda semana, a Federação produzirá matérias sobre a importância das cláusulas sociais para a vida dos trabalhadores metalúrgicos no dia a dia.

Agenda
Plenária Estatutária da Campanha Salarial da FEM-CUT/SP
Data: 13 de junho (sábado)
Local: Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - São Bernardo do Campo-SP

Viviane Barbosa, Assessora de Imprensa e Comunicação da FEM-CUT/SP

Agência FEM-CUT/SP
Redação:
imprensa@fem.org.brjornalismo@midiaconsulte.com.br
Editora: Viviane Barbosa - Mtb 28121
Siga-nos: 
www.twitter.com/femcut


•  Veja outras informações
 
SINDICATO DOS METALÚRGICOS DE MATÃO
Rua Sinharinha Frota, 798 - Centro - Cep 15990-060 - Matão / SP
Fone: (16) 3382-5944 / E-mail: atendimento@metalurgicosdematao.org.br